<
>

Na Croácia, time de polo aquático é agredido por torcedores, e goleiro revela: 'Se não me jogasse no mar, me matariam'

Jogadores do polo aquático do Estrela Vermelha Divulgação

Três jogadores do time de polo aquático do Estrela Vermelha foram agredidos na cidade croata Split. O incidente aconteceu num café no centro da cidade, onde disputariam um jogo da liga adriática contra o Mornar. Após o incidente, a partida foi cancelada e a equipe voltou para Belgrado.

Igor Milojevic, diretor executivo do Estrela Vermelha, informou que o goleiro Aleksandro Kralj teve uma fratura do nariz e foi obrigado a se atirar no mar para escapar dos agressores.

“Se não me jogasse no mar, me matariam”, afirmou o goleiro, em declarações ao site croata Gol.

O Index.hr, outro site croata, afirmou que algumas pessoas tentavam ajudar Kralj a sair da água, enquanto alguns gritavam: “Ainda são Chetniks”. Os gritos se referiam a uma organização militar nacionalista e monarquista sérvia, que instaurou um clima de terror na Croácia, durante a Segunda Guerra Mundial.

Dusan Vasic, outro atleta atacado, foi atingido por golpes nas costas, enquanto Milos Maksimovic foi agredido nas pernas com barras de ferro.

"Os jogadores estavam vestidos à paisana, com camisetas do clube por baixo das roupas", afirmou Milojevic. Depois de reconhecerem os atletas, vários homens apareceram armados com barras de ferro e paus, entraram no estabelecimento e começaram a agredir os jogadores.

Neste domingo, o Ministro do Interior da Croácia informou que a polícia prendeu três suspeitos de terem participado do ataque e, ainda, tentava reconhecer outros dois suspeitos.