<
>

Polícia de Las Vegas quer interrogar Cristiano Ronaldo sobre acusação de estupro

play
Advogado da acusação contra Cristiano Ronaldo explica por que suposta vítima não denunciou antes (0:57)

'Tinha um sentimento de que uma pessoa rica e famosa teria mais crédito', disse Leslie Mark Stovall (0:57)

Uma semana após o governo de Nevada (EUA) ter reaberto um suposto caso de estupro contra Cristiano Ronaldo, a polícia do estado admitiu que pretende, no momento certo, interrogar o craque português. A notícia foi publicada pelo portal inglês Morror, que contatou um porta-voz da entidade.

Em junho de 2009, durante uma noite em Las Vegas, o atacante português foi acusado de violentar sexualmente a modelo Kathryn Mayorga, que na época fez a queixa sem citar nomes. Mesmo tendo feito um acordo de 288 mil euros, agora ela está em busca de mais detalhes e informações.

Negando qualquer notícia de que a entidade policial havia perdido as provas sobre o caso, o portal também afirmou que eles ainda possuem os exames médicos realizados na modelo naquela noite.

O jogador viajou, neste domingo, para sua terra natal, em Portugal, para um discreto encontro com seus advogados. Ele estava acompanhado da esposa Georgina Rodríguez.

Até o momento, as alegações ainda não chegaram aos tribunais, mas Cristiano Ronaldo já está montando a sua defesa, caso seja necessário.

Na última semana, o atleta se pronunciou em sua conta no Twitter, dizendo que as alegações eram falsas, e que abomina qualquer tipo de violência. Sua nova equipe, a Juventus, também publicou um comunicado o apoiando.

Enquanto isso, grandes patrocinadores do jogador, como a Nike e a EA Sports, que desenvolve os jogos de videogame da Fifa, já demonstraram preocupação quanto às acusações, temendo que seu atleta não ‘compartilhe dos mesmos valores da empresa’.