<
>

Para realizar sonho do pai, filho de Falcão quer ser jogador de futebol

Bicampeão mundial de futsal, maior artilheiro das copas da modalidade e quatro vezes melhor do mundo, no futebol de campo, Falcão não teve tanto êxito. Apesar de vestir a camisa de Palmeiras, Portuguesa e São Paulo por curtos períodos, não conseguiu repetir nos gramados o sucesso das quadras. Agora, o ex-atleta projeta em seu filho a realização do antigo sonho de brilhar nos campos.

Aos 15 anos, Enzo Mendes vem se destacando nas categorias de base do Ituano e mantém vivo o sonho de duas gerações da família. “Meu avô queria que meu pai jogasse futebol. Ele também queria. Tentou, mas não deu. Agora é a minha vez. Desejo isso desde criança. É minha paixão e prometo me esforçar ao máximo para conseguir. Quero seguir os passos do meu pai, mas nos gramados. Ele me apoia muito e não me cobra. Diz apenas para eu ir atrás dos meus sonhos e treinar bastante”, revelou.

A relação entre pai e filho é saudável, como definem eles mesmos. Enzo contou que os dois estão sempre competindo, seja no videogame, no futebol ou qualquer outro esporte. “Eu costumo ganhar do meu pai. Agora, quando o assunto é drible, eu não tenho chance, apenas olho e tento aprender, porque nessa ele ganha todas”, brincou. O astro do futsal concordou com o filho e ressaltou a importância do esporte que “ensina a ganhar e a perder”.

Falcão não esconde o orgulho que tem do filho, mas destaca que toma cuidado para não colocar peso demais nos ombros do menino: “Ele está no caminho, mas sem pressão. Eu mesmo, dificilmente vou ver jogos dele, porque as pessoas querem saber quem é meu filho e podem cobrar desempenho simplesmente pelo fato de ser meu filho. Deixo o Enzo totalmente à vontade para trilhar seu caminho e fico na torcida para que realize o sonho de ser jogador profissional de futebol, que é também meu e do meu pai”.

“Ver meus filhos (Enzo e Luigi, filho mais velho) envolvidos com esporte é essencial, porque ajuda na formação deles. Se vierem a se tornar atletas, ótimo. Se não, ótimo também. Vou apoiá-los sempre. O importante é sermos felizes como pai e filhos”, finalizou.